domingo, 7 de fevereiro de 2010

Devoradores de plantas - Parte 3

Cochonilhas ou coccídeos

 Um pouco parecido com os "pulgões", as cochonilhas pertencem a ordem Hemiptera e à superfamília Coccoidea. É um grupo bastante grande de insetos que possui tamanho pequeno e formas bastante variadas. As fêmeas adultas não possuem asas e não se locomovem; os machos têm apenas um par de asas ou, em alguns casos raros, também não as possuem. Estes se parecem com pequenos mosquitos e podem ser reconhecidos por não apresentarem peças bucais e pela presença de um prolongamento do abdômen.
O desenvolvimento das cochonilhas é bastante complexo. As fêmeas depositam ovos dos quais eclodem ninfas. Estas, quando no primeiro estágio, possuem pernas que propiciam a capacidade de locomoção e antenas. 




Depois da primeira muda (troca de pele) as pernas e antenas se atrofiam e o inseto torna-se séssil, isto é, fixase em um determinado local sem sair mais. Ali a ninfa secreta uma capa de cera ou semelhante a uma escama, que é denominada carapaça. Nas cochonilhas pertencentes a família Diaspididae a carapaça é separada do corpo do inseto. As fêmeas ficam sob essa carapaça onde depositam seus ovos, ou mesmo os jovens diretamente. Os machos desenvolvem-se da mesma maneira que as fêmeas, porém, no último estágio
de ninfa, antes de tornarem-se adultos, as asas se desenvolvem. 
São várias as famílias de cochonilhas. Dentre elas citam-se as seguintes:
Ortheziidae, Margarodidae, Diaspididae, Aclerdidae, Coccidae, Lacciferidae, Asterolecaniidae, Pseudococcidae, Eriococcidae, Dactylopiidae e Kermidae.
As cochonilhas são de grande importância econômica em várias culturas e plantas ornamentais, pois podem causar prejuízos consideráveis. Pela variedade de famílias acima citadas, pode-se imaginar que estes insetos também apresentam várias formas e cores. Normalmente as cochonilhas são gregárias, isto é, onde existe uma cochonilha existem outras. Elas são encontradas, preferencialmente, nas axilas das folhas, sob as folhas, nos ramos e troncos das árvores e até mesmo nos frutos e raízes. A coloração pode ser branca, marrom, avermelhada, verde ou enegrecida. Algumas possuem o corpo mole coberto por cera ou secreção parecida com o algodão. Outras apresentam carapaça dura e arredondada, enquanto algumas possuem o corpo com formato de vírgula.
As cochonilhas, assim como os pulgões, secretam “honeydew”. Esta substância adocicada atrai formigas o que passa, muitas vezes a ser um segundo problema para a planta. No local onde fica aderido o “honeydew” cresce um fungo negro, denominado fumagina que prejudica o desenvolvimento normal da planta. As formigas ao passearem sobre esta substância açucarada acabam por espalhá-la ainda mais, possibilitando o aparecimento do fungo em diversos locais na planta.







Controle cultural

Retirar galhos e ramos infestados pelas cochonilhas.

Monitoramento

Avaliar a presença de cochonilhas, principalmente durante o crescimento inicial das
plantas.

Controle biológico

As joaninhas (Coleoptera: Coccinelidae) são eficientes predadores de cochonilhas, assim como sirfídeos (Díptera: Sirphidae). Fungos entomopatogênicos também têm sido utilizados no controle de cochonilhas, principalmente em culturas em casas de vegetação.

Controle químico

Óleo mineral com sabão, inseticidas sistêmicos.

Artigos relacionados:

Um comentário:

  1. Acredito que seja essa cochonilhas que estejam infestando meu pé de orégano.São bem branquinhos,parecem umas plumas de levinho,mas grudam e dá o q.fazer pra lavar a planta.Só que tenho medo de usar produtos que depois eu nao possa consumir, pq além dos pézinhos de óregano, tenho salsa e cebolinha no mesmo espaço. O que fazer?

    ResponderExcluir