segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

O melhor vaso para cada tipo diferente de planta

Um alô aos meu leitores, é isso mesmo, é como se fosse uma roupa: mesmo bonita, não pode chamar mais atenção do que a pessoa que a veste. O vaso correto garante o crescimento da planta, valoriza sua aparência e não rouba seu encanto. Pesquisei alguns modelos e gostaria de mostrar como fazer esse casamento dar certo, não deixem de aproveitar para conhecer alguns modelos disponíveis na loja (Clique aqui para conferir)








Modelo ótimo para ousar

Formato mais comum para o plantio de ervas e temperos, o vaso tipo tacho ou bacia ganhou outro uso estético: faz um contraponto com espécies esguias, como a pata-de-elefante (Beaucarnea recurvata). Em reuniões de vasos, este modelo é ideal para proporcionar diferentes volumes à área.
Dica: a sombrinha-chinesa é uma planta aquática, mas aceita o plantio na terra.
Sugestão: Use substrato, que mantém a terra mais úmida.










O rei da versatilidade
Um dos modelos mais flexíveis de vasos, o trapézio comporta espécies de pequeno, médio e médio-alto portes. É eficiente para pontuar entradas e formar conjuntos em varandas. A planta ideal para este modelo tem 2/3 da sua altura, mas há exceções, com apenas 1/3 de sua altura, que ficam perfeitas, a exemplo do buxinho (Buxus sempervirens).





Suporte para espécies medianas
A forma clássica de taça, comum no paisagismo europeu, ganhou uma conotação mais moderna nos jardins atuais. O modelo sustenta espécies baixas e de médio porte.
Dica: use forrações pendentes, que transbordem o vaso, uma boa opção também é plantar terezinha.
Que venham as plantas ascendentes!
A caixa é o melhor formato para abrigar árvores esguias, como iúca (Yucca elephantipes) e dracena (Cordyline australis). O modelo ocupa pouco espaço, por isso é ideal para interiores: salas, corredores e halls de entrada. Na hora da compra, repare se a peça é confeccionada em um material que possa receber terra ou serve apenas de cachepô.



Nenhum comentário:

Postar um comentário